Mestrado em Genética no Brasil



Para grande maioria dos jovens egressos do curso de Ciências Biológicas, a aprovação em cursos de pós-graduação marca o início de novo ciclo na carreira profissional. No Brasil, os programas de pós-graduação em genética são uns dos mais procurados e exigem de seus pretendentes estudo e dedicação para alcançarem êxito nos processos seletivos. Relatos de experiências são sempre bem-vindos para aqueles que pretendem aprofundar seus conhecimentos ingressando na pós-graduação. Dessa forma, Luís Cláudio Lima, formado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão e egresso da Liga Acadêmica de Genética Médica nos conta sua experiência atual como aluno de Mestrado. Luís Cláudio foi aprovado no Programa de Pós-Graduação em Genética da Universidade Federal de Minas Gerais, onde atua na área de Genética Molecular, de Microrganismos e Biotecnologia. Atualmente, desenvolve pesquisas voltadas à construção de Bactérias Lácticas geneticamente modificadas, especialmente Lactococcus lactis e Lactobacillus, para uso como vacinas orais, seja como adjuvante imune ou carreador de antígenos recombinantes.

“A experiência de estar desenvolvendo minha dissertação na UFMG e em especial no Laboratório de Genética Celular e Molecular está sendo bastante proveitosa. As experiências multidisciplinares com a microbiologia, imunologia, bioquímica, engenharia genética, biologia molecular e bioinformática, faz de cada dia um novo desafio, a medida que todas essas áreas dão suporte para a execução de meus experimentos, e na posterior análise de dados. As aulas são muito mais puxadas, de forma que é necessário bastante esforço e dedicação para acompanhar o ritmo, talvez esta seja uma das primeiras diferenças que notei entre a graduação e a pós-graduação. Fazer pesquisa no Brasil é uma tarefa difícil, mas com a criação de laços profissionais com pesquisadores de todo o Brasil e exterior, tenho conseguido recomendação e incentivos para realização de minha pesquisa. Dessa forma, creio que a troca de experiências é um ponto chave para aqueles que pretendem trilhar por essa via de estudo na área da genética ou em qualquer outra área que se deseja aprofundar. Como já dizia o conterrâneo Gonçalves Dias: a vida é combate! Pois que venham nossos desafios”.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) avalia os cursos de pós-graduação com notas de 3 a 7, os quais possuem exigências básicas estabelecidas no âmbito do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) e requisitos gerais estabelecidos pela Portaria CAPES nº 91/2015. A qualificação do corpo docente, adequação das áreas de concentração de projetos de pesquisa, adequação de estrutura curricular com respectivas ementas de disciplinas, explicitação dos critérios de seleção de alunos e justificativas para o perfil da formação profissional pretendida e o estágio de desenvolvimento da área no País são as principais variáveis analisadas, além de muitas outras.

No Brasil há diversos programas de pós-graduação em genética. Para todos estes, o estudo e dedicação para os processos seletivos é essencial. Geralmente os alunos traçam suas metas a partir da linha de pesquisa que deseja seguir. Dentre os principais programas de pós-graduação em genética temos:


Além destes, outros programas possuem conceitos de avaliação pela CAPES. Como dica para os estudos, deixamos os livros “Introdução da Genética (Griffiths)” e “Fundamentos de Genética (Snustad & Simmons). Estes são os principais livros utilizados durante os processos seletivos das pós-graduações. Não perca tempo, comece logo com os estudos e garanta sua vaga. Há muito ainda o que fazer para o desenvolvimento da genética no Brasil, faça parte desse time!